Capítulo 07

Incorporação é por excelência a mediunidade de terreiro

Veja aqui um vídeo que explica de forma ilustrada como ocorre essas incorporações

Confira esta Animação Sobre a Incorporação

Conheça a Vivência Online que te ensina a colocar em prática tudo que aprendeu no livro comigo

Preencha com seus dados abaixo e entre para a lista de espera da próxima turma!

[activecampaign form=79 css=1 ]

Participe da discussão

38 comentários

  1. Olá Rodrigo!
    Tudo bem?
    É comum em um terreiro, onde se trabalham diversas linhas, um médium não conseguir trabalhar com todas? Ex: trabalha-se com, caboclo, preto-velho, baiano, boiadeiro, marinheiro e erê. O médium só conseguir dar passagem a 3 dessas 6 linhas de trabalho!
    Gratidão!

  2. Boa tarde muito particular o médium muitas vezes demora a entender o que acontece com ele eu mesma as vez muito presente outras Mem tanto

  3. Que extensão de capítulo… Obrigada por tanto! Me ajudou demais sobre a dúvida sou eu ou o guia… Justamente porque tenho dificuldade de abraçar, acolher, minhas conversas são atropeladas pela vontade de falar. E tudo isso realmente não ocorre durante as incorporações.

    1. Boa Noite.
      Estou no começo do meu desenvolvimento, ainda muita coisas não estão claras, a minha colocação seria a seguinte: nós dias de desenvolvimento ( seja ela qual for), posso levar algo pra poder agradar a entidade ou até mesmo me conectar mais fácil.

  4. Pai Rodrigo gostaria de agradecer pelo maravilhoso trabalho que fez nesse livro, está sendo muito gratificante para mim ter acesso a tanto conhecimento! Muito obrigada pelo aprendizado! Saravá! Axé! Mojubá!

    1. Parabéns estou aprendendo muito com esse livro essa obra, queria fazer o desenvolvimento quando tiver favor me comunicar obrigado.

  5. Nunca incorporei nada. Mas achei muito estranho um dia que estava com minha irmã saindo de uma balada. Eu senti minha perna direita dobrar rapidamente, me senti um pouco fraca. Minha irmã me apoiou e fomos andando . Depois de um tempo eu fiquei gargalhando o tempo todo sem controle e sem motivo As gargalhadas pareciam altas , muito altas ,num tom que parecia ir muito longe como se eu estivesse em uma grande caverna. Eu queria parar de gargalhar mas não conseguia. Até que fui parando não me lembro como. Só sei que foi tudo muito estranho. Até hj lembro disso e não sei o que foi isso e porque aconteceu isso. Se puder me falar algo que possa me ajudar a entender isso eu agradeço. Agora mesmo escrevendo isso para você sinto um calor forte de dentro pra fora. E em algumas vezes lendo este livro também o calor vem . Gratidão um abraço.

    1. Celeste certamente foi uma entidade que se aproximou e te mostrou. Recomendo que considere ir num terreiro de confiança.

  6. Olá, Pai Rodrigo!!!
    No Terreiro que frequento, nas giras de Exus, alguns mediuns colocam as mas mãos nas costas e travam os dedos.
    Vi que vc escreve algo sobre isso, como se não fosse correto.

    Axé

  7. Tenho muita vontade de desenvolver esse trabalho mediunico, mas não tinha nenhuma informação clara de como tudo funciona, está sendo muito esclarecedor.
    Espero conseguir ajudar outras pessoas através dos mestres espirituais.

  8. Olá Rodrigo!
    Cheguei até esse livro através do centro espírita que eu trabalho, solicitei a um amigo muito querido algo para leitura de estudo e ele me indicou o seu livro, e a cada página me identifico ainda mais com a umbanda, está sendo muito enriquecedor para a minha vivência na mediunidade e me esclarecendo muitas dúvidas que eu tenho.

  9. Esse livro me remete a reflexão de comosou como médium de terreno. Comecei sem conhecimento algum…porém via pouco progresso. Estou aprendendo com o “livro que fala” as particularidades mediúnicas e essa conexão “maluca” com o universo espiritual. Achei genial a didática de preparar a gente com os vários tipos de mediunidade . Qdo chega em médium de terreiro sem coração no final do capítulo batia forte, feliz. A Umbanda é luz do meu caminho. Gratidão

  10. Um médium pode ser amadurecido e ativo no exercício mediúnico e ainda assim se lembrar de tudo das consultas. Isso não é uma questão de amadurecimento na incorporação. Ser mais ou menos consciente é uma característica mediúnica individual de cada um. Você coloca no final do capítulo que o não lembrar de boa parte das consultas é o resultado do amadurecimento, mas não é bem assim. Certo ?

    1. Olá minha irmã de fé!
      Ele disse exatamente o contrário! Ao final do capítulo ele explica que quem já está amadurecido e conscientemente ativo no exercício mediúnico, tem como cenário ideal se lembrar de muitos detalhes do atendimento.

  11. Nossa! Uma luz no aspecto do uso de materiais e também uma ótima descrição do modo de ver o mundo durante a incorporação!
    Eu quero muito fazer mais um curso de médium de terreiro com pai Rodrigo!
    Eu tava na turma 1 e a segunda turma infelizmente eu não podia participar por causa da diferença de horas pra europa. O curso iria começar umas 23-00hs da noite. Se o próximo é organizado um pouco mais cedo eu participo com certeza!

  12. Em breve irei comentar sobre o que achei do livro todo e com certeza sobre o quanto sou grata por você ter feito este livro… Ro, eu procurei muitos livros respostas para minhas perguntas que eu nao sabia nem como formular as mesmas e fazer a uma entidade, meu pai e mãe do terreiro… você conseguiu trazer exatamente o que ficava em minha mente, e o melhor… conseguirei dar a resposta e respostas corretas e verdadeiras a amigos que me questionam sobre como ocorre o processo da incorporação! Obrigada, obrigada, axé!!

  13. Pai Rodrigo sou filha do ASA. Filha da mãe Adriana Palma. Fizemos seu curso durante a pandemia.
    Lendo o livro agora estou fazendo muitos links. Dos nossos estudos e do meu desenvolvimento no dia dia dentro do solo sagrado.
    Gratidão por somar !
    Estou amando ler e ter estes vídeos para ouvir e vê lo !
    Fica muito aconchegante esta relação! Ver e ouvir o autor é muito legal!

  14. Saudações a todos !
    Essa forma de leitura é muito preciosa , para que possamos internalizar os conhecimentos maravilhosos dessa religião.
    Estou gostando bastante , está sendo muito prazeroso a leitura do livro e assistir os vídeos .
    Mediunidade é um tema dos mais importantes para nosso desenvolvimento na vida , muito bom reconhecer essas nuances e suas funcionalidades .

  15. Olá Rodrigo! Muito esclarecedor. Estou adorando o livro, está dando margem para que eu aprofunde meus conhecimentos. Obrigada por compartilhar conosco.
    Gostaria de participar do curso.
    Atenciosamente
    Márcia

  16. Sua benção, pai Rodrigo.
    O que me impressiona é a clareza, como o Sr explica a Umbanda, sem firulas, sem fantasiar, sem exageros, apenas com a simplicidade que deve ser.
    Gratidão. Hoje lido melhor com minha espiritualidade, graças a seus ensinamentos.
    Moro em Porto Alegre e , uma das minhas metas, em 2024, é ir a São Paulo, pra levar este precioso livro, para o Sr autografar pra mim.
    Abraços

  17. Estou amando ler este livro e tenho certeza que daqui pra frente sentirei muita falta dessa interação com os autores dos próximos livros que lerei. Neste capítulo, aprendi o mecanismo da incorporação na umbanda, excelente, frequentei alguns terreiros e nunca alguém soube me responder porque a incorporação nos médiuns umbandistas era diferente dos kardecistas. Fui criada em centro espírita, estudei e trabalhei em mesa “branca” e apesar de sentir os espíritos. Nunca dei passividade e após alguns anos, quando saía do centro pior do que chegava, saí do centro.
    Frequentando um terreiro, uma entidade me disse que eu era da umbanda, fiquei apavorada, tudo era muito estranho, muito diferente de tudo que Vivi na vida de kardecista. Então, fugi novamente.
    Mas sinto que a entidade tinha razão. Estar lendo esse livro, faz parte da minha busca de compreender o que é a umbanda, como funciona, quais são seus fundamentos. E estou aprendendo e descobrindo um mundo completamente novo. Gratidão de coração ❤️.
    Moro em Senador Canedo, uma cidade que compõe a grande Goiânia – Goiás.

  18. obrigado, estou iniciando na umbanda e seu livro está me fornecendo muito conhecimento, espero assimila-lo com o tempo e torna-lo sabedoria

  19. Qdo vou as giras de vez em quando sinto um peso muito forte no corpo, fosse como algo muito pesado sobre mim, arrepios pelos braços que sobem pelo couro cabeludo, seria isso uma forma de iniciar uma incorporacao?

  20. A tontura, arrepios,qdo as vezes vou na frente com outros consulente dou mais espaço entre as pernas pois parece que vou cair,agora fico na dúvida se não pode ser minha pressão ,por isso averiguar é necessário, o suor uma vez aconteceu em uma oração na casa de minha mãe com evangélicos, então quero dizer que efeitos físicos os tenho ,por isso gostando muito do estudo com o livro mediunidade na umbanda

  21. Estou gostando muito do seu livro vc é muito didático. Gostaria de participar do seu curso de mediumidade de terreiro .

  22. Fantastica explanação, muito exclarecedora e promove de maneira simples e objetiva o romper de paradigmas que torna os mediuns iniciantes assim como eu mais seguros e convictos do que ocorre no momento da incorporaçao.
    Assim estimula nossa fé e desenvolvimento sadio.
    Muito obrigado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instituto Cultural Aruanda – Umbanda EAD
CNPJ: 08.717.697/0001-28
Rua Albuquerque Lins, 6-2, Falcão
Bauru-SP, CEP 17050-010
Telefone: [14] 3010-7777

Preencha o formulário para liberar o conteúdo